Roncos e Apnéia

O Ronco, é o ruído causado pela vibração do ar durante sua passagem através de estruturas das vias aéreas superiores como a nasofaringe, orofaringe, palato, úvula, amígdalas, adenóide. é um distúrbio que afeta  cerca de 1/3  da população adulta.  Ao dormir ocorre uma redução do tônus muscular da faringe estreitando essa região. Quando o estreitamento é suficiente para obstruir parcialmente a faringe, o fluxo do ar ocorrerá com dificuldade, provocando a vibração das partes moles da garganta e o consequente ruído. Afeta cerca de 1/3 da população adulto.

A apnéia obstrutiva do sono é um distúrbio do sono, potencialmente grave, também denominada Sindrome da apnéia obstrutiva do sono (SAOS) quando associada a alguns sintomas e comorbidades (outras doenças).  É considerada uma evolução do doença do ronco, e é caracterizada pela ocorrência de episódios recorrentes de obstrução parcial ou total das vias aéreas durante o sono. A conseqüência destas obstruções é a redução (hipopnéia) ou interrupção completa (apnéia) do fluxo de ar. Com o esforço respiratório, o indivíduo volta a respirar gerando um ciclo de pausa respiratória e retorno da respiração. De acordo com dados do Ministério da Saúde, cerca de 50% da população brasileira se queixa de qualidade de sono ruim e 33% sofre de apneia do sono.

 

CAUSAS

A causa tanto do ronco, quanto da SAOS é multifatorial. Podem ser causadas pela interação de fatores anatômicos individuais (tamanho das vias aéreas) com outros fatores como hipotonia da musculatura do palato durante o sono.

São fatores de risco para SAOS:

  • obesidade

  • retrognatismo (queixo curto)

  • sexo masculino

  • aumento da circunferência cervical (pescoço gordo)

  • idade maior que 50 anos

  • obstrução nasal: desvio septal, hipertrofia de cornetos, hipertrofia adenoideana.

  • Hipertrofia amigdaliana (amigdalas grandes) ou palato mole longo.

SINTOMAS:

O paciente com ronco ou apnéia obstrutivado sono pode não perceber o problema. Muitos pacientes são conduzidos ao especialista pelo cônjuge ou por pessoas que convivem com ele e percebem o problema.

Alguns sinais e sintomas comuns são:

  • Ronco: respiração ruidosa ou barulhenta durante o sono

  • Sono não reparador ou seja, o paciente já acorda com a sensação de cansaço ou de que não dormiu suficientemente.

  • Episódios de apnéia: paradas momentâneas da respiração durante o sono presenciadas pelo cônjuge ou outra pessoa.

  • Noctúria ou seja, o paciente desperta várias vezes durante a noite para urinar sem que haja um problema de ordem urológica

  • Distúrbios cognitivos como: dificuldade de memória, concentração e atenção

  • Fadiga

  • Noctúria ou seja, o paciente desperta várias vezes durante a noite para urinar sem que haja um problema de ordem urológica

  • Cefaléia matinal, estes pacientes muitas vezes já acordam com dor de cabeça

  • Sonolência Excessiva Diurna (SED): é um sintoma muito importante e freqüente em pacientes com SAHOS.

DIAGNÓSTICO

Polissonografia: é o principal exame para diagnóstico dos distúrbios relacionado ao sono. Realizado durante uma noite inteira, fornece diversos dados que após analisados ajudam no diagnóstico e possível tratamento a ser realizado.

 

Sonoendoscopia: exame realizado durante um sono induzido pelo anestesista, em que através de uma video endoscopia nasal, é possível visualizar os locais da faringe onde ocorre a obstrução (apneia) e vibração (roncos).

Desta forma procedimentos cirúrgicos e até mesmo aparelhos intra-orais são indicados de forma mais precisa.

TRATAMENTOS

 

O principal objetivo do tratamento de apneia obstrutiva do sono é manter as vias respiratórias abertas para que a respiração não seja interrompida durante o sono. A escolha do tratamento ideal deve ser realizada sempre junto ao médico especialista, que avaliará a presença de vários fatores, tais como:

  • o tipo e intensidade dos sintomas.

  • as alterações anatômicas observadas na garganta, nariz e face.

  • a gravidade da doença.

  • a presença de outros problemas de saúde.

  • possíveis contra-indicações a determinados tratamentos.

Procedimento cirúrgico que avança a mandibula e levando consigo a língua. Isso pode levar a um maior espaço para passagem de ar pela faringe e melhora da apnéia ou roncos. 

CPAP

 

É considerado um tratamento padrão e eficiente para a apneia obstrutiva do sono na maioria das pessoas. Indicado para os casos moderados ou graves, consiste no uso do aparelho chamado CPAP (do inglês, Continuous Positive Airway Pressure). O CPAP consiste em um pequeno compressor de ar muito silencioso  que se conecta a uma máscara ajustada ao nariz e/ou boca do paciente. Esse aparelho previne a obstrução da garganta durante o sono e reestabelece o sono normal ao indivíduo. Apesar de parecer algo muito desconfortável à primeira vista, o aparelho costuma ser bem tolerado pelos pacientes. 

 

 

 

 

 

 

 

 

Dispositivos intra-orais

 

São feitos por dentistas especializados em SAOS e  são indicados para os tratamentos de apneias leves ou moderadas. Embora existam vários tipos de dispositivos, a maioria trabalha na mesma filosofia: avanço de mandíbula e língua, que tem como objetivo a abertura do espaço aéreo, afastando dos tecidos da garganta liberando a passagem de ar. De modo geral, o uso dos dispositivos orais convencionais deve prevenir a abertura da boca durante o sono, devem estabilizar a mandíbula, impedindo que ela caia durante a noite, pois caso a boca abra, a língua se posiciona posteriormente, fazendo com que a passagem do ar se estreite e reduza a eficiência dos músculos dilatadores das vias aéreas superiores.

As principais indicações dos aparelhos intra-orais são:

 

  • pacientes com ronco primário;

  • pacientes com resistência aumentada da via aérea e SAOS leve;

  • casos de SAOS moderada ou grave quando houve intolerância ou recusa ao uso de CPAP;

  • na contra-indicação cirúrgica;

  • como terapia substitutiva de curta duração.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Tratamentos cirúrgicos:

O Tratamento cirúrgico visa melhorar o fluxo aéreo nas vias aéreas superiores (nariz e faringe). Cirurgias nasais como septoplastia e turbinectomia, são indicadas nos pacientes com queixa de obstrução nasal ou com alteração anatômica acentuada (desvio de septo, hipertrofias de cornetos, hipertrofia adenoamigdaliana). 

Os procedimentos cirúrgicos especializados para a SAOS no adulto compreendem basicamente 2 grupos:

- aqueles que modificam os tecidos moles da orofaringe: Adenoamigdalectomia, uvulopalatofaringoplastia, faringoplastia lateral, uvulopalatoplastia por laser (LAUP), glossectomia, avanço do músculo genioglosso.

- aqueles que abordam o esqueleto facial: hióidopexia, mandibulectomia com reposicionamento do genioglosso, avanço maxilo-mandibular.

Cada um dos tratamentos acima possui indicações e contra-indicações específicas e individualizadas para cada paciente. A decisão quanto ao tratamento ideal para cada caso deverá ser realizada junto ao médico especialista. Abaixo descrevemos um breve resumo de cada tratamento:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonoterapia

Uma nova opção de tratamento para a SAOS é a terapia fonoaudiológica que vem demonstrando resultados satisfatórios, melhorando significativamente os sintomas iniciais e proporcionando uma qualidade de vida. Em pacientes portadores de SAOS, nota-se uma melhora no número de paradas respiratórias, bem como uma diminuição do ronco e da sonolência diurna  O enfoque do tratamento fonoaudiológico é a mioterapia dos músculos envolvidos, priorizando o fortalecimento da musculatura palatal que se encontra enfraquecida.

Uvulopalatofaringoplastia

Antes da cirurgia:

 

Hipertrofia de amigdala causam obstrução da via áerea superior.

Pós operatório:

 

Hipertrofia de amigdala causam obstrução da via áerea superior.

Cicatrização leva em média de duas a quatro semanas para uma completa recuperação

Resultado final: 
melhora importante da passagem de ar.

Cirurgia Ortognática

Medidas gerais

Em casos de ronco leve, ocasional ou apnéia leve, algumas medidas gerais podem ajudar:

  • dormir de lado

  • perder peso

  • evitar uso de álcool

  • pevitar uso de tranquilizantes ou relaxantes musculares.